quarta-feira, 4 de junho de 2008

Selecção de Portugal - nº 3 : Figo

Regresso ao Eldorado - Edição nº 34

Era um jogador de perna gorda mas de finos movimentos, aquele que se via jogar lá em baixo.
Um dos mais evoluídos tecnicamente, entre os que vestiam a camisola dos juniores de Portugal que, naquele dia, se sagrariam bi-campeões mundiais de juniores.

Estávamos em 1991 e o antigo Estádio da Luz estava cheio como nunca.
Eu, o meu pai e o meu irmão fazíamos a enésima representação da peça "Sardinhas em Lata", uma eterna representação que nós, portugueses, gostamos de repor nos mais variados palcos, onde acorremos como cães com o cio.

Luís Figo tinha um penteado ridículo, à Maria Amélia, as tais pernas gordas, um jeito algo molengão, mas o talento estava lá. Hoje vive o acaso da carreira no Inter de Milão, mas para trás fica um currículo de sonho, tantas foram as conquistas nos melhores clubes da Europa.
info: Luís Filipe Madeira Caeiro Figo nasceu em Almada, a 04 de Novembro de 1972. Foi descoberto num clube de bairro, o Pastilhas, sendo depois contratado pelo Sporting. Jogou em Espanha no Barcelona e no Real Madrid, e em Itália no Inter de Milão. Foi eleito o Melhor do Mundo em2001.
Conquistou quatro campeonatos de Espanha, três de Itália, uma Taça de Portugal, duas Copas do Rei, uma Taça de Itália, duas Supertaças europeias, uma Taça das Taças, uma Liga dos Campeões , um Mundial de Clubes e um Mundial de Juniores.
Marcou 32 golos pela Selecção nacional.
------------------------------

Depois de um aquecimento de motores no Sporting, Figo explodiu - até fisicamente - no Barcelona, o meu clube preferido além fronteiras. Tomara eu que todos os jogadores do Sporting saíssem para o Barça, que seria assim um Sporting de luxo. Mas não adianta ter redondas utopias quando o futebol é cada vez mais quadrado.

No ano 2000, Figo trocou os bleu grenat pelos rivais do Real Madrid e foi quase o fim do mundo.
Chamaram-lhe pesetero e no regresso à Cidade Condal foi recebido com apupos e cabeças de porco lançadas para o relvado. E não, não havia batatas fritas a acompanhar.
Em 2005 foi para o Inter de Milão dando sequência ao ritmo de cinco anos por clube.

Figo está, por mérito próprio, na história do futebol português e também na história das conquistas masculinas porque fisgar uma Helen Svedin é equivalente, no mínimo, a quatro campeonatos do mundo consecutivos.
Não é preciso encharcar-me de cerveja para perguntar:
"Figo, a tua mulher é muita boa, não é?"

Amanhã há nova viagem na máquina do tempo.
Venha comigo assassinar saudades.

4 comentários:

paulo ribeiro disse...

bem parece que me deves 1 € pelas proximas 5 mil visitas ao teu blog
so para veres que a minha empresa funciona,

estou aqui melodramatico a ouvir um som que deve ser da tua altura (por seres idoso) bad boys, penso que seja de bob marley

mas sabes que os 80´e 90´p mim foi a idade do espermatozoide

tinhamos falado de ir ai sexta, mas ja sabes que sexta estou em lisboa, mas na segunda feira, espero ir e levar a minha creatividade no ponto X

um abraço e fika bem

N.M disse...

GRANDE FIGO, GRANDE jogador...dos melhores de sempre!!!

João Paulo Cardoso disse...

Paulo Ribeiro:
"Idoso" é o esqueleto do teu trisavô!

Não noto o afluxo de visitantes, talvez tenha que postar gajas nuas em vez de avôzinhos da bola.

Cá fico à espera dos teus novos textos mas quanto mais leio mais acho que não estou à altura.
É que de psiquiatria não percebo nada.

Um abraço e "fika" bem também.

João Paulo Cardoso disse...

n.m:

Não somos só nós adeptos de futebol que gostamos deste jogador.
Elas chamam-lhe um figo...

(piada fácil do século)

Um abraço.